Uso de dispositivo que impede o reclinamento de poltronas causa polêmica

Foto por freeimages.com

Um dispositivo chamado “knees defender” (defensor de joelhos) tem dado o que falar nos últimos dias nos Estados Unidos. Instalada na mesinha, a tal invenção impede que a poltrona da frente recline, deixando inúmeros passageiros furiosos.

 

A polêmica em torno do “knees defender” é tanta que um voo da United Airlines, entre Newark e Denver, precisou fazer um pouso de emergência em Chicago devido a uma briga causada pelo uso do equipamento. Um passageiro se recusou a retirar o “knee defender” da poltrona e a passageira da frente jogou um copo d’água nele, iniciando uma séria discussão. Ambos foram removidos do voo. Detalhe: os dois ocupavam poltronas na classe “Economy Plus” que garante algum centímetros a mais de espaço.

 

O dispositivo pode ser comprado no site kneedefender.com e custa U$ 21,95. Desde que o caso ganhou repercussão mundial, os pedidos aumentaram em 500%, segundo Ira Goldman, inventor do “knee defender”. De acordo com o órgão que regulamenta a aviação civil norte-americana, cabe a cada companhia aérea autorizar o uso ou não. A maior parte das empresas proíbe, incluindo a United Airlines.

 

Nos Estados Unidos, a polêmica gerada sobre “o direito de reclinar a poltrona” é tanta que inúmeras pessoas tem se posicionado em relação ao caso. O site skift.com até realizou uma pesquisa para saber se os americanos eram contra ou a favor do uso do “knee defender” – e 66% não aprovam o uso de dispositivos como esse.

 

Saiba mais:

Folha de São Paulo

New York Times

Skift