Trilha no lado sul do Grand Canyon

A trilha Bright Angel Trail vista lá de cima | Foto por Bruna Cazzolato Ribeiro

A trilha Bright Angel Trail vista de cima | Foto por Bruna Cazzolato Ribeiro

 

Por Bruna Cazzolato Ribeiro

 

Diante de toda a grandiosidade do Grand Canyon, é no South Rim, parte ao sul do Parque Nacional americano, onde o visitante encontra opções para todas as idades. Ao decorrer da borda sul, muitos mirantes apresentam paisagens de tirar o fôlego. Procure pelas placas com nomes de viewpoints, elas levam aos mirantes tão esperados. É difícil escolher a posição mais bonita, mas é no pôr do sol que os lugares são mais disputados.

 

Há cinco centros de visitantes posicionados em pontos distintos do parque. Porém, não são todos que permanecem abertos durante a temporada de inverno. Além de informações aos turistas, os centros apresentam algumas exposições sobre o parque. Geralmente existem opções de alimentação e compras perto dos centros de visitantes.

 

O sol se pondo | Por Bruna Cazzolato Ribeiro

O sol se pondo | Foto por Bruna Cazzolato Ribeiro

 

O The Grand Canyon Visitor Center é o principal. Por sua localização perto da portaria, é considerado o ponto de partida para a aventura. Deste centro partem ônibus para as outras áreas do parque, onde trafegar com carro não é permitido. Os ônibus têm paradas específicas e com um mapa em mãos é fácil planejar suas paradas.

 

Aproveite para se informar sobre todos os detalhes do parque nos centros de visitantes. As crianças têm um espaço especial nos parques americanos, e o Grand Canyon dispõe de diversas atividades para os pequenos e também para os curiosos, que acontecem em horários específicos, em vários pontos do parque. A programação é diversificada e varia diariamente. Aqui, por exemplo, acontece o projeto Junior Ranger, no qual a criança retira um caderno de atividades e completa durante a visitação no parque. Ao final, o participante recebe um certificado.

 

Para os aventureiros de plantão

Os aventureiros se sentem no paraíso, já que trilhas não faltam. Existem alternativas para todos os estilos, desde baixa a alta intensidade. As opções vão de trilhas para fazer em algumas horas a caminhadas para mais de um dia. Para quem prefere caminhadas tranquilas, os trechos entre alguns mirantes são adequados pela facilidade de acesso.

 

Uma das trilhas mais famosas é a Bright Angel Trail, próxima ao Kolb Studio, na parada Village/Hermits Rest Route Transfer da linha azul do ônibus. A parte mais popular da trilha chega até o Plateau Point, ponto mais próximo do rio que se consegue alcançar em um dia de trilha. Até este ponto ida e volta totalizam 19 quilômetros de caminhada. Com aproximados 900 metros de variação de altitude, a trilha é considerada íngreme e requer um pouco de prática para completá-la.

 

Rio Colorado visto do Plateau Point | Foto por Bruna Cazzolato Ribeiro

Rio Colorado visto do Plateau Point | Foto por Bruna Cazzolato Ribeiro

 

O mais importante na natureza é o planejamento. Respeitar o seu limite e a força da natureza são pontos cruciais. Antes de fazer as trilhas, verifique os pontos de parada, a intensidade do sol na época do ano em que você está visitando, a localização de bebedouros (quando existentes) e o mais importante, a distância. Calcule o tempo de caminhada, acrescente o tempo de contemplação e também de descanso. Lembre-se que na volta o cansaço aumenta.

 

Acesso ao parque

Saindo do Brasil, o meio mais fácil de chegar a este lado do parque é voar até Las Vegas e dirigir por 275 milhas (445 quilômetros) ao sul. Aproveite as facilidades das estradas americanas, alugue um carro e dirija pelas estradas US–93 S, I–40 W e AZ–64 N / US-180 S para chegar ao parque. O legal é que a rodovia AZ – 64 faz parte da famosa Rota 66.

 

Ainda é possível dirigir aproximadas 60 milhas (96 quilômetros) pela AZ–64 N / US-180 S e chegar até Williams ou mesmo escolher Flagstaff, a 79 milhas (127 quilômetros) da entrada do parque pela US-180 S e depois sair para US-180 W, para descansar.

 

Onde se hospedar

Para dormir, há opções de hotéis, pousadas e campings dentro do parque, mas espere por baixa disponibilidade especialmente na alta temporada. Há três campings dentro desta área do parque – Mather Campground, Desert View Campground e Trailer Village (único que aceita motorhome). É possível pernoitar em campings durante as trilhas, mas para isto é necessário uma autorização e reserva especial. Os seis hotéis e pousadas estão espalhadas pelo parque e, geralmente, estão localizados próximos aos centros de visitantes. O passo a passo para as reservas está disponível no site do parque.

 

Informações úteis

— O site oficial do parque apresenta informações importantes para visitação. Não deixe de acessá-lo antes de iniciar o seu planejamento;

— O horário de funcionamento do parque muda conforme a época do ano: no inverno, fecha mais cedo e, no verão, mais tarde;

— Verifique a época do ano e se prepare para temperaturas intensas;

— Sempre carregue pequenos lanches e água durante sua visitação. Apesar da boa estrutura desta área do parque, a fome pode apertar em momentos que não imaginamos;

— Depois de tirar todas as suas dúvidas e com um bom mapa na mão, aproveite toda a beleza que o lugar pode te proporcionar. Ele não decepcionará.