Barbadas e RoubadasRede de viagensRoubadas

19.06.2008

Roubadas e barbadas

Conheci este site quando planejava uma viagem com minha esposa para comemorar 10 anos de casados. O destino seria Buenos Aires. Apesar de versar dicas daqui e de outros sites, fui vítima de taxista, mal tratado por alguns argentinos e decidi contribuir com algumas dicas que podem auxiliar outros que queiram conhecer a decadente Buenos Aires.
Quanto às dicas que deram sobre comprar pesos aqui ou lá, optei sem receio em adquirir no próprio aeroporto de Guarulhos no guichê do meu banco. Por que? Foi cômodo e não despertei atenção no aeroporto Ezeiza (já que meu voo chegaria lá por volta das 23h). Outra dica é “exigir” dinheiro trocado, evite as notas de 50 e 100 pesos. Não viajem pela Aerolíneas Argentinas, optem pela Gol, Tam ou Lan. O avião é idêntico aos “velhinhos e barulhentos” da falida VASP ( luzes de cortesia, poltronas e mesas para lanche avariadas ). O que salvou o voo foi a aeromoça, que foi de uma cordialidade impressionante, o jantar nota 10 e a pontualidade tanto na ida como na volta. Enfim, se alguém estiver “apertado” de grana compensa.
Chegando lá fui procurar a tão indicada tenda do Manuel Tienda Léon: não compensa pagar 18 pesos por pessoa se você estiver por exemplo em 4 pessoas, pois o táxi do aeroporto ficou em míseros 60 pesos e te deixa mais rápido na porta do hotel do que ficar dando voltas na cidade deixando outros passageiros. Quanto ao hotel, tomem cuidado com os anunciados pela Submarino viagens, fiquei em um que no site da Submarino dizia ser 3 estrelas, no do hotel 4 estrelas, mas que na minha opinião não tinha estrela alguma. Por sinal, pesquisei logo na chegada para mudar de hotel e observei que os hotéis são caríssimos se você tentar fazer reserva pessoalmente, faça tudo pela internet, de preferência utilizando convênios de milhagens de empresas aéreas nacionais como Smile da Varig ou Fidelidade Tam. Logo na nossa chegada, resolvemos sair para já inaugurar a noite de Buenos Aires, e ao pegarmos um táxi aquela hora na rua e pagarmos a corrida, tivemos o dissabor de não ter trocado o dinheiro e o espertinho manuseou a nota de 100 pesos e me devolveu uma falsificada que só tive o desprazer de saber que era ao tentar pagar a conta do Pub, correndo o risco de chamarem até a polícia. Depois disso aprendi a pegar somente táxis de cooperativas e/ou chamados pelo próprio estabelecimentos. O tal Shopping Abasto é ridículo perto de muitos que possuímos no Brasil, é puro marketing, só salvou realmente tomar o tão indicado sorvete na Fredo. Não deixem de visitar a Galeria Pacífico, é um shopping charmoso, com pinturas do século passado no teto e deliciosas cafeterias e lojas de alto nível. Se possuem crianças não deixem de visitar a loja Mimo´s…tudo é quase de graça e de qualidade, você faz a festa. Para quem tem filha, como nós, não deixem de visitar a única loja franqueada da Barbie do mundo, que fica em Palermo…é muito linda, tem até salão de cabeleireiros para as meninas, lanchonete e espaço para festa de aniversário.
Os outlets foram outra decepção, pois basta chegar mais cedo no Free Shop de Ezeiza que você verá a burrada que fez ficando correndo de um lado para o outro durante dias..rs rs rs rs. Compensa olhar com calma e comprar: jaquetas em couro, bolsas de marca, perfumes e cremes. Recomendo o Show de tango Piazzola, é emocionante sai uns 180 pesos por pessoa sem jantar. Espero ter contribuído, levando-se em conta que cada um tem um ponto de vista diferente. Este é o nosso para auxiliar alguém que queira conhecer Buenos Aires. Abração.

Grenner Medrado

 

Compartilhe por aí

Sobre o autor

Rolar para cima