BarbadasBarbadas e RoubadasRede de viagens

03.06.2014

Puerto Montt melhor do que a fama

A fama da cidade chilena de Puerto Montt é de suja, feia e perigosa, mas não foi isso que constatei nos 10 dias que passei ali. O que se ouve falar de mais perigoso são furtos ocasionais sem agressão ou armas, coisa possível em qualquer lugar do mundo. Até mesmo nos menores vilarejos. O povo é trabalhador, acolhedor, solícito, simples e afável. E o melhor de tudo: cheio de identidade. Vocês terão vontade de pagar boas gorjetas.

A cidade é a capital regional da província de Los Lagos e os arredores são belos de tirar o fôlego e os passeios não são caros. Experimentem passar alguns dias na Ilha Chiloe, um lugar cheio de misticismo e mitologia. Sugiro que se hospedem na parte baixa da cidadezinha de Castro, uma das mais antigas do Chile. Há ônibus no Terminal Rodoviário que atravessam para a ilha de ferry. Não deixe de provar o curanto, prato típico da região.

A cidade também é boa para compras: vestuário e calçados de qualidade chilena a preço de banana. Se chegarem de ônibus, ao sair do terminal rodoviário, tomem a mão direita e subam a primeira rua à esquerda, chamada Allende. Em uma das esquinas, vocês encontrarão dois hostales, o Pacífico e o Central. No inverno, o quarto 207 ou 208 do Pacífico são ideais: vocês nem precisarão ligar a calefação. No verão, o quarto 103 do Central é melhor por possuir varanda.

Ao chegar de avião, peguem no aeroporto o ônibus que leva ao Terminal Rodoviário, que é a última parada, e vocês estarão bem no centro da cidade. Fujam apenas do hotel Terrazas del Mar porque ali eles não são muito honestos. O hóspede pede simplesmente um quarto single e eles, sem nos avisar que existem singles de diferentes tamanhos, dão um single grande em vez de um single pequeno e se sentem no direito de cobrar mais caro.

Carmem Silva

Compartilhe por aí

Sobre o autor

Rolar para cima