Kutná Hora: do grotesco ao encanto

Rua Masarykova com a Catedral de Sta. Bárbara ao fundo | Foto por Vinícius Fontana

Rua Masarykova com a Catedral de Sta. Bárbara ao fundo | Foto por Vinícius Fontana

 

Por Vinícius Henrique Fontana

 

Peço um momento de atenção aos viajantes eufóricos para ir à República Tcheca. Estando em Praga, destino obrigatório, preserve seu corpo por ao menos uma tarde (o ideal seria um dia e uma noite), pegue um trem e visite Kutná Hora, uma pequena cidade com aproximadamente 21 mil habitantes, distante 75km de Praga.

 

Kutná Hora está na lista de Patrimônios da Humanidade da Unesco e se destaca por suas construções milenares, paisagens serranas e pela diversidade de suas igrejas, que vão desde uma belíssima catedral gótica até uma capela decorada com ossos humanos! Indispensável aos viajantes.

 

A Cidade

Kutná Hora nem sempre foi uma cidade pitoresca, quase um vilarejo paradisíaco. Durante os séculos 13 a 16, rivalizava com Praga o status de principal ponto comercial da Boêmia. Entretanto, seu papel na insurreição contra o rei Ferdinando I, combinada com uma enchente que devastou a principal mina de prata da cidade, sua maior fonte de riqueza, realocaram Kutná Hora do protagonismo ao esquecimento. Para completar, um grande incêndio devastou a cidade no século XVIII, restando apenas as grandes construções de pedra.

 

Típica rua de Kutná Hora Foto | Vinícius Fontana

Típica rua de Kutná Hora | Foto Vinícius Fontana

 

Atualmente, Kutná Hora é abastecida pelo aumento constante do fluxo de turistas que resolvem fugir um pouco de Praga e conhecer a bucólica cidade. O lugar pode ser dividido em dois segmentos principais: o primeiro é Sedlec, conhecido como a parte velha da cidade, onde se localizam o ossuário e a Catedral da Assunção; o segundo é Pritoky, ou cidade nova, com diversas ruas cortando seu relevo acidentado e belíssimas construções remanescentes de múltiplas eras, sendo o centro turístico de Kutná Hora.

 

Como chegar

Não há um aeroporto grande pela região, o mais próximo é o de Praga, portanto descer em Kutná Hora pode ser inviável. A melhor opção para chegar a Kutná Hora é o trem. Os trens de Praga saem com frequência (aproximadamente a cada 1h30), porém atenção, de Kutná Hora os últimos trens para Praga saem por volta das 22h, então, caso não planeje pernoitar na cidade, fica a dica. A passagem custa em torno de Kč 110 (cerca de 4 euros) e a viagem dura entre 1h e 1h30min. Há também o serviço de ônibus, porém não é recomendável. Consulte o site da companhia férrea tcheca para mais informações.

 

O que fazer

Caso esteja saindo de Praga por via férrea, o trajeto que recomendo é descer na estação Kutná Hora – Sedlec. Há outra estação, a Kutná Hora Mesto, que fica próxima às principais atrações turísticas da cidade. Contudo, um passeio por Kutná Hora não estará completo caso não se vá a Sedlec.

 

Desça na estação, peça informações turísticas lá mesmo, e caminhe cerca de 20 minutos até a Igreja de Todos os Santos (ou Kostnice). A Igreja com seu cemitério não é de todo interessante, vale mais descer às suas catacumbas para contemplar o ossuário, obra dos monges que lá viviam há mais de 900 anos. Eles decoraram a capela com ossadas de mais de 40 mil humanos, aos moldes do que foi realizado em Jerusalém.

 

O gigantesco lustre composto em ossos e os anjos que contrastam na decoração | Foto: Sarita Reed

O gigantesco lustre composto em ossos e os anjos que contrastam na decoração | Foto: Sarita Reed

 

 

Os restos mortais pertencem desde nobres a soldados, com destaque para o grande “lustre” que pende do teto, composto com todos os ossos do corpo. O que mais impressiona não é o tamanho (o local é bem pequeno), mas o decoro e a peculiaridade do que ali foi feito. No fim, cada um tem sua impressão: a minha é de que o lugar não é macabro, e sim bastante bonito dentro de sua proposta.

 

Ao comprar ingressos para o ossuário, é oferecido um pacote com diversas atrações. Pode se optar ir a todas as oferecidas, contudo as que mais valem a pena são o ossuário e a Catedral de Sta. Bárbara. Outra atração em Sedlec é a Catedral da Assunção, entretanto é uma atração dispensável, sendo bastante austera em seu interior.

 

Para ir ao centro da cidade, ou Pritoky, há três opções: pegar o trem na estação Sedlec em direção à Mesto, o que pode demorar; um ônibus que faz o trajeto em poucos minutos; ou encarar uma caminhada de aproximadamente 40 minutos saindo do ossuário. Caso esteja cansado e com alguma pressa, recomendo o ônibus, pois no centro é necessário usar os pés e não há um serviço de transporte que supra tal demanda adequadamente. Caso decida ir a pé, siga pela rua Masarykova.

 

Detalhe de uma das estátuas da Rua Masarykova  | Foto por Vinícius Fontana

Detalhe de uma das estátuas da Rua Masarykova | Foto por Vinícius Fontana

 

 

O “bilhete de entrada” na parte nova é a Igreja de St. Jacob com sua imponente torre. Siga reto até avistar belas ruas com suas casas de múltiplas cores. Agora pode explorar à vontade. Não deixe de visitar no centro a Corte Italiana (um antigo tribunal da era barroca), a fonte gótica e de caminhar toda a extensão da rua Barboská, com suas múltiplas estátuas, finalizando com a belíssima Catedral de Sta. Bárbara, gótica, o maior símbolo da cidade. É comparável em beleza à Catedral do Castelo de Praga, apesar de ser um pouco menor.

 

Caso pense em ficar mais tempo em Kutná Hora, outras dicas são as famosas vinícolas da região, bem como alguns castelos pequenos que circulam a cidade. O acesso a tais locais é mais difícil, a melhor opção é organizar passeios com agências de turismo.

 

Por fim, a dica gastronômica é ir ao Restaurant Kometa (na Rua Barboská, 29/22, próximo ao Museu da Prata). Lá, caso o dia esteja frio, o que não é improvável, a pedida é a sopa no pão. Caso não esteja com muita fome, é possível duas pessoas dividirem o prato –  e não tenha vergonha, podem comer o pão, é delicioso.

 

Diversas praças são encontradas decorando a cidade  | Foto por Vinícius Fontana

Diversas praças são encontradas decorando a cidade | Foto por Vinícius Fontana

 

Dicas

– Kutná Hora é uma cidade pequena, portanto nem todos os serviços são abertos, especialmente aos domingos. É necessário algum planejamento para não ficar desguarnecido caso falte algo;

 

– A região é chuvosa, portanto, caso o tempo esteja nublado, é bom comprar guarda-chuva;

 

– O de sempre: levar água e tênis confortáveis, pois os pés são o melhor meio de transporte;

 

– Caso opte pelo trem, compre a passagem aberta de Praga a Kutná Hora e vice-versa. É válida por um dia e você pode fazer o horário que bem entender;

 

– Não se esqueça de conseguir um mapa nos quiosques de informações turísticas localizados nas estações de trem. Não é tão fácil conseguir informações em inglês como em Praga.