10 dicas sobre a Ruta Nacional 3, na Argentina

Ruta 3, estrada que liga Buenos Aires a Ushuaia | Foto Bruna Cazzolato Ribeiro

Ruta 3, estrada que liga Buenos Aires a Ushuaia | Foto Bruna Cazzolato Ribeiro

 

Para os brasileiros que querem desbravar a Argentina de carro, os 3.060 Km da Ruta 3 são sinônimo de aventura. A Ruta 3 começa em Buenos Aires, atravessa toda a porção leste da Patagônia e termina em Ushuaia, a cidade mais austral da América. Apesar de ser considerada uma estrada plana e com poucas curvas, o que geralmente garante uma tranquilidade ao motorista, aqui seguem 10 dicas para aproveitar mais a sua viagem.

 

 

1. Quilometragem das placas

Durante todo o trajeto reparamos que o número de quilometragem mudava nas placas. Uma placa mostrava Puerto Madryn a 100 km, por exemplo, e depois de cinco quilômetros rodados, a placa se repetia. Mas isso não altera muito a quilometragem final.

 

2. Fila nos postos

Não sei se foi por causa da época de férias (dezembro e janeiro), mas praticamente todos os postos de gasolina possuíam filas para abastecer. Por sorte, o maior tempo que esperamos foi 30 minutos. Mas fiquei sabendo que algumas pessoas esperaram horas para encher o tanque.

 

3. Mapa rodoviário

O mais interessante de possuir um mapa físico é, além de saber quais são as distâncias e onde estão os postos de gasolina, poder ver o que acontece ao redor das cidades que você está passando. Adquirimos um mapa rodoviário da Patagônia que foi muito útil. Não utilizamos GPS e não nos perdemos.

 

A Ruta 3 muda de nome conforme passa por certas cidades. Atenção! | Foto Bruna Cazzolato Ribeiro

É possível viajar pela Ruta 3 sem GPS, apenas com mapa rodoviário | Foto Bruna Cazzolato Ribeiro

 

4. Wi-fi nos postos

A maioria de postos que passamos possuem wi fi gratuito, especialmente se localizados próximos de grandes cidades.

 

5. Preço da gasolina 

Basicamente encontramos duas marcas de postos (YPF e Petrobras), e o YPF foi o mais barato durante todo o trajeto. Em algumas cidades, o preço se iguala, mas em nenhum momento o YPF é mais caro. Saiba que muitos postos, especialmente em cidades do interior, só aceitam dinheiro vivo (chamados de efectivo, em espanhol).

 

6. Mudança no nome da estrada

Como a rodovia passa por dentro de diversas cidades, a Ruta 3 adquire novos nomes. Basta seguir as placas, o GPS, o mapa e prestar muita atenção.

 

Um bom lembrete | Foto Bruna Cazzolato Ribeiro

Um bom lembrete | Foto Bruna Cazzolato Ribeiro

 

7. Cautela no rípio

O rípio nada mais é do que uma estrada de terra com pedras que escondem seus buracos. Vá devagar e, se possível, escolha fazer esse trajeto durante o dia. Ah! As estradas de rípio estão identificadas no mapa rodoviário e são passagens obrigatórias para quem vai a Ushuaia.

 

8. Água quente nos postos de gasolina

Por causa do mate argentino, os postos de gasolina oferecem água quente. É uma máquina que libera a água necessária depois que você coloca o valor indicado em moeda. Se não gostar de mate (ou de chimarrão), pode ser uma boa opção para um chazinho na estrada ou mesmo para matar a fome com um macarrão instantâneo. 😉

 

9. Farol aceso

Além de precisar de um cambão, um triângulo extra (isso mesmo, dois triângulos!) e um cabo de aço, é obrigatório andar com farol aceso durante todo o dia – é regra no país. Acrescente aí também a obrigatoriedade da Carta Verde (seguro obrigatório para terceiros). Eu ainda indico a extensão de perímetro do seu seguro. Sabe como é, seguro é aquele negócio, morreu de velho!

 

10. Estradas em boas condições

Apesar do número baixo de pedágios, o que geralmente indica estradas mal cuidadas, essa facilidade argentina contribui para uma viagem tranquila. Aproveite esse benefício e o fato de haver poucas curvas para ter certeza de que seu trajeto terá sucesso. Só não se esqueça das estradas de rípio, que contribuem para aumentar o tempo de viagem.

 

Paisagem estonteante ao longo da Ruta 3 | Foto Bruna Cazzolato Ribeiro

Paisagem estonteante ao longo da Ruta 3 | Foto Bruna Cazzolato Ribeiro