Carnac, a Stonehenge da França

Alinhamento de Kerzerho

Alinhamento de Kerzerho | Foto por Grazi Calazans

 

As construções megalíticas se espalham por toda a Europa, tendo como a mais famosa delas o clássico Stonehenge, na Inglaterra. Algumas destas construções datam de cerca de 5000 a.C.  e suas origens permanecem um mistério até hoje. Uns acreditam que eram usadas para fins funerários, outros que tem importante significado astronômico.

 

Muita gente crê também que estas pedras tem algum poder mágico, que emanam uma energia diferente. O fato é que ao visitar os alinhamentos de Carnac, independente da sua crença, garanto que você irá, no mínimo, se pegar imaginando como aquelas pedras foram tão perfeitamente alinhadas há milhares de anos.

 

Não só a cidade de Carnac, mas também Plouharnel, Ploemel e Erdeven, todas na região da Bretanha, na França, são repletas dessas construções místicas. Por serem muito próximas, você pode conhecer todas elas em poucos dias, sendo tudo muito bem sinalizado. Uma viagem intrigante e emocionante!

 

 

Alinhamentos de Menéc (Carnac)

Alinhamentos de Menec | Foto por Grazi Calazans

Alinhamentos de Menec | Foto por Grazi Calazans

 

O conjunto mais representativo da região são os alinhamentos de Menéc, constituído por 1099 menires – pedras verticais isoladas – em 11 fileiras distribuídas em um campo de 1.165 metros de comprimento por 100 metros de largura, datados de 3000 a.C.

 

Distante apenas 15 minutos de caminhada do centro da cidade (cerca de 1,2 km), estes alinhamentos, são cercados por uma grade, mas podem ser vislumbrados da estrada.

 

Alinhamentos de Kermario (Carnac)

Alinhamentos de Kermario | Foto por Grazi Calazans

Alinhamentos de Kermario | Foto por Grazi Calazans

 

Contemporâneo aos alinhamentos de Menéc, Kermario é formado por 1029 menires, ao longo de 10 linhas paralelas de 1120 metros de comprimento. Este alinhamento também é cercado, mas é possível pagar por uma visita guiada (em torno de €6) e andar por entre as imponentes pedras.

 

Kermario fica a cerca de 1,5km distante dos alinhamentos de Menéc e a caminhada, por entre um belo bosque, é agradável. Se estiver visitando as ruínas no verão, é bom levar protetor solar, já que a região é bem quente e o sol, muito forte. Entre os campos de alinhamentos, um mirante garante uma visão da amplitude e da beleza dessas rochas tão perfeitamente organizadas, algo realmente mágico.

 

Alinhamentos de Sainte Barbe (Plouharnel)

Pôr do sol em Sainte Barbe | Foto por Grazi Calazans

Pôr do sol em Sainte Barbe | Foto por Grazi Calazans

 

A cerca de 3km do centro de Plouharnel encontram-se os alinhamentos de Saint-Barbe, formada por dois grandes menires e mais uma dezena de outros menores espalhados ao redor. Saint-Barbe é aberto, localizado no meio de uma plantação de batatas. Na ocasião em que a visitamos, ocorreu um fenômeno muito raro, o alinhamento da Lua Cheia entre os monolitos. A cidade estava lotada de pessoas de todas as partes do mundo para conferir aquele momento. Ver o Sol se pôr entre as rochas também é uma cena especial e inesquecível.

 

Dolmen de Crucuno (Plouharnel)

Dolmen de Crucuno | Foto por Grazi Calazans

Dolmen de Crucuno | Foto por Grazi Calazans

 

Os Dolmens são outro estilo de construção megalítica, caracterizado por geralmente ter o formato de uma mesa de pedra. O nome vem da língua bretã (dol = mesa e men = pedra) e o mais característico Dolmen da Bretanha é o de Crucuno, localizado entre as cidades de Plouharnel e Erdeven, isolado na pequena vila que dá nome ao monolito.

 

O tamanho deste Dolmen impressiona, sendo possível entrarmos nele e sentirmos a sua energia. Sua tampa tem 7 metros de comprimento, colocada magistralmente sobre nove estacas, formando uma espécie de gruta de 1,80 m de altura, 3,40 m de comprimento e 3,35 m de largura.

 

Cromeleque de Crucuno (Plouharnel)

Cromeleque de Crucuno | Foto por Grazi Calazans

Cromeleque de Crucuno | Foto por Grazi Calazans

 

Os cromeleques são uma disposição de vários menires em formas geométricas. O Cromelque de Crucuno é um famoso quadrilátero de menires, formado por cerca de vinte pedras, que montam um retângulo de 35m de comprimento e 25m de largura. Esta construção monolítica é datada de 4000 a.C.

 

Ali foram feitos vários estudos, mostrando que as rochas fazem alinhamentos perfeitos com o nascer e o pôr do sol em determinadas épocas do ano. O local possui uma energia incrível, tocar nas pedras milenares chega a arrepiar.

 

 Alinhamento de Kerzerho (Erdeven)

As pedras gigantes em Kerzerho | Foto por Grazi Calazans

As pedras gigantes em Kerzerho | Foto por Grazi Calazans

 

Cerca de 8km de Carnac, na cidade de Erdeven, encontram-se os alinhamentos de Kerzerho, com várias centenas de monolitos espalhados por quase 2km de extensão. Da estrada já se avista a grande concentração de menires e as pedras ali parecem ter uma energia ainda maior do que as outras. Quando se adentra uma trilha por uma pequena floresta, são encontradas gigantes pedras verticais, algumas parecem ter rostos esculpidos.

 

Dizem que os monolitos foram colocados sobre pontos energéticos do planeta, e em Kerzerho acho que até o mais descrente dessa teoria haveria de concordar. Meu filho caçula ficou a mil por hora por entre as pedras, como se tivessem ligado o rapazinho na tomada. Um lugar realmente especial.

 

Outras atrações na região

E se para você todos estes monolitos já não são motivo suficiente para visitar a Bretanha, fique sabendo que a região guarda ainda muitas atrações interessantes. Os centros históricos de todas essas cidades são muito charmosos, com construções em pedra e ruas bucólicas. As praias da região também são muito bonitas, e, especialmente em Sainte Barbe, a prática de surf é muito frequente.

 

O caminho de La Fontaine de Fleurs | Foto por Grazi Calazans

O caminho de La Fontaine de Fleurs | Foto por Grazi Calazans

 

 

Em Plouharnel, existe a Fointaine des Fleuers, um belíssimo jardim com inúmeras espécies de flores, muito bem cuidado – como todos os jardins franceses. E você pode ainda fazer uma agradável caminhada à beira do Rivière d’Étel, um belíssimo rio com lindas paisagens ao seu redor. Enfim, a Bretanha é mesmo um destino incrível!

 

Como chegar

A maior cidade da região e a principal via de entrada para as cidades citadas é Auray. De lá, ao menos no verão, é possível pegar um trem que vá até a península de Quirebon, passando por Ploemel, Plouharnel e Carnac. É fácil também pegar trens a partir de Nantes ou Rennes para Auray.

 

Outra alternativa bem aceita na França, mesmo que você não fale uma palavra de francês, é a carona ou a covoiturage, ou seja, o compartilhamento de carro, onde você racha a gasolina com o condutor que esteja fazendo aquele trajeto. O Bla Blá Car francês funciona muito bem.