BarbadasBarbadas e RoubadasRede de viagens

08.02.2008

Buenos Aires

Restaurantes e passeios
Restaurantes: a maioria dos restaurantes cobra o chamado cubierto, que é uma espécie de couvert cobrado por pessoa, quer você consuma ou não. É uma cesta de pães com patê ou queijo ou manteiga, varia de 5 a 8 pesos. Tratando-se de alimentação, cafés, cervejas, refrigerantes (gaseosos) e água são caras em Buenos Aires, mesmo em pesos. Para se ter uma ideia, em Palermo uma simples garrafa pequena de água mineral custa 8 pesos, quase 4 reais. Portanto, procure comprar no supermercado e faça estoque no hotel, levando uma garrafa pequena quando for fazer passeios durante o dia. Recomendamos o Restaurante La Posada de 1820, na Calle Tucmán, próximo à Florida. Esse restaurante já foi recomendado neste site e fomos lá conferir, é ótimo, tanto para almoçar quanto para jantar. Uma pedida para casal é pedir 2 bifes de chorizo individuais, 18 pesos cada um, mais um acompanhamento, purê de papas ou ensaladas. A gaseosa custa 6 pesos, e serve um copo para cada um. Uma taça de vinho também é uma boa pedida. Recomendamos o Broccolino, restaurante italiano, localizado também próximo à Florida, sempre cheio. Tem massas maravilhosas e um preço super legal (Calle Córdoba com Esmeralda). Peça uma massa verde a Maradón, uma porção inteira para cada um, é maravilhooosa. Peça uma garrafa de tinto e conheça o paraíso.
Em Porto Madero: como gostamos de restaurantes à la carte, não fomos ao tal do Siga La Vaca. O Cabana das Lilás é sempre cheio e excessivamente caro, sob o ponto de vista custo-benefício. O La Caballeriza é também muito cheio e achamos que o preparo da carne não condiz com a proposta do restaurante e o atendimento não foi muito legal. Mas o Bahia Madero é excelente, tem um preço honesto, embora seja caro, e o atendimento foi muito bom. Um bom jantar com uma pequena garrafa de vinho fica em torno de 140 pesos. Uma opção mais barata em P.Madero é o Il Gatto, mas cuidado com as armadilhas, pergunte tudo. Tem pizzas boas e baratas.
Em San Telmo: Se você tiver muita paciência e se despir do estresse, recomendamos o Restaurante Parrila Al Carbón y Leña, na rua Carlos Calvo 319. É um antigo e lindo convento e tem umas massas e vinhos excelentes. Os donos, Sr. Miguelito e esposa, são simpáticos, mas, lembre-se, seja paciente, por que tudo é demorado, mas isso é bom porque San Telmo aos domingos é demais.
O café Tortoni é excelente para ir, fica na Av de Mayo. Tem fila na porta, mas se você for paciente, terá oportunidade de tomar um delicioso café com medialunas e ver-se em um lugar histórico e nitidamente portenho, imperdível. Todos os cafés e confeitarias de BUE são maravilhosas, na Recoleta, no Centro, enfim, são muito boas.
Na calle Santa Fé, visite a Ateneo, livraria dentro de um antigo e bem conservado teatro, é linda. Daí você poderá ir passear na Recoleta, ver suas confeitarias, cafés e lojas, perde-se por lá, é muito bom. O alfajor na loja da Havana é maravilhoso, e as medialunas e os doces em geral são excelentes.
Como dissemos, a cidade é boa para se andar, tem excelentes monumentos, porém suas avenidas são sujas, as praças também, mas tudo isso fica apagado quando se vê a arquitetura europeia. Todos os passeios tradicionais são maravilhosos, exceto, para nós, a visita a La Boca e Bombonera e o cemitério da Recoleta, achamos ruins. O passeio do Tigre não fizemos. Mas, como ficamos por oito dias, conhecemos muitas coisas, a alma da cidade, as pessoas são maravilhosas, educadas, conversamos com muitas durante as nossas longas caminhadas, sempre gentis.
San Telmo aos domingos é maravilhoso, vá a partir das 10 da manhã e se perca nas ruas enfeitadas de artistas, hippies, é uma espetacular diversidade. Tem as estátuas vivas, que coisa linda. Tire fotos e dê uma contribuição de 1 peso, vale a pena. Me emocionei com a singeleza de uma delas ao tratar uma criança. A Recoleta é ótima para passear, tomar cafés e bebericar vinhos ao cair da tarde. Palermo Viejo tem lojas fantásticas para os consumistas e a livraria Prometeu é linda e muito cult. Tem barzinhos para descolados, originais ou forçados.
Obviamente, deve-se tomar os cuidados de praxe de uma cidade grande, andar com cópias dos documentos, deixar os originais no cofre do hotel, andar com dinheiro miúdo nos bolsos, e as cédulas maiores na cintura, ser discreto ao abrir a carteira.

Alex Pereira

Compartilhe por aí

Sobre o autor

Scroll to Top