Uma noite inesperada na Etiópia

Por Zizo Asnis

 

De avião teria sido muito, muito mais rápido. De micro-ônibus turístico teria sido muito, muito mais confortável. Mas por um misto de economia, aventura e sadomasoquismo viajante optei pelo ônibus – o ônibus comum, tal como fazem os africanos. E como fazem os viajantes, que querem verdadeiramente conhecer um território.

 

0 bus

 

E assim estava eu naquele velho veículo verde, saindo de Addis Ababa, capital da Etiópia, rumo à fronteira do Quênia.

 

 

O conforto do ônibus acabou ficando em segundo plano. Na verdade, ficou em plano nenhum. Quem se importa com assentos reclináveis e fofinhos quando se tem uma esplêndida paisagem africana para entreter?

 

2. vegetacao africana

 

Mas na África, apesar de toda exuberância, o que conta não é uma paisagem paradisíaca, mas uma paisagem de vida, de africanos no seu cotidiano, de gente batalhando, vivendo e sobrevivendo. E isso se pode testemunhar à beira das estradas, observando os pequenos  vilarejos…

 

3 Vilarejo

 

Os mercados…

 

4 Mercado

 

A própria estrada…

 

5 from driver

 

Onde as crianças chamam a atenção.

 

6 crianças na estrada

 

Crianças cuidando de uma boiada…

 

7 menino boiada

 

Vendendo frutas para os passageiros dos ônibus…

 

8 criança vendendo

 

Ou apenas achando engraçado um estranho viajante forasteiro.

 

9 Vamos menina

 

Mas logo minha atenção se voltou para dentro do ônibus

 

10 dentro do bus

 

Para um passageiro exatamente.

 

11 atencoes para 1 passageiro

 

Ele??

 

12 ele

 

Não, não ele. (Embora muito simpático!)

 

13 nao, nao ele

 

Mas para um outro, atrás dele.

 

14 mas atras dele

 

Simba. Bonachão, sorridente, fluente no inglês.

 

15 Simba

 

Logo mudou-se de lugar e sentou-se próximo a mim, ao lado de Malika.

 

16 Simba Makida

 

Malika é uma simpática engenheira civil que, à trabalho, ia para o sul da Etiópia.

 

17 Eu e Malika

 

Ficamos os três muito amigos. Simba, bem-humorado, convidou Malika para ser sua segunda esposa, o que era aceitável em sua tribo, Konso (seu pai, revelou, tinha três esposas). Rimos muito da proposta, inclusive de Simba, dizendo que iria apanhar de sua única esposa, que vive na capital, se Malika tivesse aceitado.

 

Depois ele fez um convite a mim: porque não descer em Konso, conhecer sua tribo e passar à noite por lá? Agradeci e, inicialmente recusei.

 

18 os três

 

Escurecia. Simba insistiu mais uma vez. Malika deu força para que eu aceitasse a proposta. Eu não tinha planos para a noite, e pensei: por que não?

 

E assim, com aquele ilustre e anônimo etíope, que eu conhecera poucas horas antes, parti para passar a noite num remoto vilarejo de uma tribo africana. Não tinha a menor do que iria encontrar.

 

19 anoitecer

 

Chegar em Konso, no sul da Etiópia, não era fácil. Após a descida do ônibus, ainda esperamos horas por um micro-ônibus. Ao chegar no vilarejo, constatei que não havia energia elétrica. Era o interior do interior da África.

 

5 conhecer o povoado

 

Fomos direto para a casa da irmã de Simba, que nos convidou para um jantar. Uma espécie de batata com espinafre. Não era exatamente batata nem espinafre, mas um convidado viajante não pode fazer desfeita.

 

6 jantamos na sua irmã

 

Simba foi no povoado para, além de rever sua família, participar da festa de noivado do seu primo.

 

7 festa

 

A noiva, que fez questão de tirar foto ao lado do seu vestido.

 

8 noiva mostra vestido

 

As mulheres preparavam a cerveja, caseira.

 

9 preparam ceva

 

Agora com um pouco mais de luz.

 

10 preparam ceva

 

Cerveja um tanto quanto, digamos, exótica. Ainda assim, claro que tomei.

 

11 gosto exótico

 

As mulheres também preparavam a comida.

 

12 mulheres cozinha

 

E homens… bem, os homens dançavam… (sim, a cultura machista também impera na África).

 

13 homens dançam

 

Foto com os primos.

 

14 fotos dos primos

 

Simba me levou para conhecer as casas típicas da tribo Konso, habitações de tronco com telhados de palha.

 

15 casas típicas

 

Mas não foi ali que dormimos, e sim na casa de sua irmã. Havia poucas camas e muitas crianças, mas de alguma forma, se deu um jeito. Pouco pude ver, já que estava tudo escuro. Até o amanhecer…

 

16 luz do dia

 

Dormi muito bem, pois fui o último a acordar. E na luz do dia, pude observar o local.

 

17 o quintal

 

A beleza da simplicidade.

 

18 a casa

 

Humilde, organizado, genuíno, não trocaria por um hotel.

 

19 conhecer a casa

 

E tem as lindas crianças.

 

20 as crianças

 

Ainda com café da manhã: injera, com feijão. Saboroso.

 

21 injera no café

 

Continuam a preparar a cerveja. A bebida é popular entre os konso.

 

22 ceva no café

 

Todos tomam

 

23 todos na ceva

 

Todos!

 

24 bebe tb toma

 

Mas o bebê parece que não gostou muito…

 

25 mas parece nao gostou

 

Ok, talvez nem todos.

 

26 crianças

 

O povoado de Konso à luz do dia.

 

27 povoado luz do dia

 

Fui embora feliz por conhecer uma família linda, batalhadora, vivendo num distante vilarejo da África, sob várias adversidades, sem perder a alegria, o senso de honestidade e gentileza.

 

28 eu e os konso

 

Veja mais fotos de Zizo na África no Instagram: @zizoasnis.