América do SulBlogBox-6Viajantes Colaboradores

16.10.2014

12 curiosidades sobre o Recife

Por José Jayme

 

Se você for de Recife, certamente sabe que o correto é “do” Recife. E essa não é a única coisa que os “forasteiros” desconhecem sobre a capital pernambucana. Carinhosamente classificada como a maior cidade pequena do mundo pelos seus moradores, Recife tem várias particularidades que a tornam única, mesmo quando comparada com as outras capitais nordestinas.

 

01. O único lugar onde se idolatra o invasor

Estátua do conde Maurício de Nassau, localizada na praça da República em frente ao Palácio sede do governo de Pernambuco | Foto por José Jayme
Estátua do conde Maurício de Nassau, localizada na praça da República, em frente ao Palácio sede do governo de Pernambuco | Foto por José Jayme

 

Durante o século 17, o Brasil foi invadido pelos holandeses e, dentre as várias regiões que ficaram nesse domínio, Pernambuco foi uma delas. Nesse período, o estado foi comandado pelo conde Maurício de Nassau e uma grande expansão urbanística foi realizada na cidade.

 

Após a expulsão e ao passar de muitos anos, permeia pelo imaginário popular que a situação do estado seria bem melhor se os holandeses ainda estivessem aqui. Verdade ou não, o Conde Maurício de Nassau tem sua “fama” estampada em vários lugares, desde nome de ruas até uma universidade.

 

02. Recife já ficou refém de um boato – duas vezes

O ano era 1975 e a cidade ainda se recompunha de uma enchente devastadora. Mesmo com a construção da barragem de Tapacurá, criada para evitar cheias, a cidade sofrera as consequências das fortes chuvas.

 

Alguns dias após o nível da água baixar, correu o boato de que a barragem havia rompido e que a cidade seria engolida por uma onda monumental. Até que se descobrisse que tudo não passava de uma mentira, o caos se instalou, com pessoas abandonando seus carros e subindo em prédios. Por incrível que pareça, esse episódio se repetiu em 2011, agora com as redes sociais como carro-chefe.

 

03. A cidade mais bairrista em linha reta da América Latina

Praça Sérgio Loreto, com uma escultura do Galo da Madrugada e do fundador do bloco. Localizada em frente a sede do bloco, considerado o maior bloco do mundo | Foto José Jayme
Praça Sérgio Loreto, com uma escultura do Galo da Madrugada e do fundador do bloco. Localizada em frente à sede do bloco, considerado o maior bloco do mundo | Foto José Jayme

 

O recifense tem a curiosa característica de ser megalomaníaco. Tanto é verdade que já foi feito um documentário a respeito, contando as diversas histórias que fazem do recifense um povo que tem mania de grandeza.

 

Para citar alguns exemplos, já se falou que o Shopping Center Recife é o maior do Brasil (e de fato até foi); que o Galo da Madrugada é o maior bloco do mundo (também já foi); que a Av. Caxangá é a maior avenida em linha reta da América Latina (nunca foi); e que temos o segundo maior polo médico nacional.

 

Lembra dos holandeses? Após a expulsão, eles se instalaram nos Estados Unidos e fundaram uma cidadezinha ao nordeste do país chamada Nova York. Sem falar nos rios Capibaribe e Beberibe, que se unem para formar o oceano Atlântico. Se quiser saber mais sobre essas e outras histórias, o documentário se chama – e não poderia ser diferente – O Melhor Documentário do Mundo.

 

04. Um roteiro exclusivo aos lugares mal assombrados

O Recife é a capital mais assombrada do Brasil – de acordo com os próprios recifenses –, e o mais interessante é que várias dessas histórias de assombração estão consolidadas em um roteiro oferecido pela Secretaria de Turismo da cidade. Passando por diversos bairros, os turistas podem se deliciar e ficar com um frio na espinha com as histórias das assombrações do rio Capibaribe e do Cemitério de Escravos da Cruz do Patrão, entre outras.

 

05. Um dos poucos lugares onde se vai à praia para não tomar banho de mar

Fotos das placas proibitivas de banho devido ao risco de ataque de tubarões | Foto por José Jayme
Fotos das placas proibitivas de banho devido ao risco de ataque de tubarões | Foto por José Jayme

 

Nos últimos 20 anos, o Recife se tornou um dos lugares com maior incidência de ataques de tubarão do mundo. E não se trata de megalomania. Pesquisas identificaram que o fenômeno se deu por influência do Porto de Suape, localizado ao sul da cidade, cuja expansão afetou o ecossistema da região e fez com que esses predadores fossem cada vez mais próximos das praias em busca de alimento, gerando diversos ataques a banhistas e levando a óbito em alguns casos.

 

Esse fator gerou uma mudança de comportamento para os frequentadores da orla urbana. Inicialmente com a prática do surf proibida, as limitações se estenderam ao banho de mar, e hoje o que se vê são “banhistas” que fazem de tudo na praia: tomam cerveja, jogam bola, correm… mas não tomam banho de mar.

 

06. Roberto Carlos não é o rei

No reino da cidade do Recife, Roberto Carlos não tem autoridade. O cantor é respeitado e admirado por muitos, mas se tratando da dinastia musical, o Recife tem Reginaldo Rossi como monarca.

 

07. Uma das cidades brasileiras com maior influência francesa

Estação central do Recife, com fachada semelhante a Gare Du Est de Paris | Foto por José Jayme
Estação central do Recife, com fachada semelhante à Gare Du Est de Paris | Foto por José Jayme

 

No século 19, época da Revolução Industrial, o Recife começou a receber diversas intervenções urbanas de influência francesa. Estruturas de ferro vindas da Europa foram utilizadas em construções e ornamentações pela cidade, como as estátuas da Ponte Maurício de Nassau, importadas de Val D’Osne, região da França rica em fundições.

 

Além do mais, o engenheiro francês Louis Léger Vauthier foi responsável por diversas obras na cidade, como o teatro Santa Isabel e a estação central do Recife, inspirada na estação Gare dD Est da capital francesa, além do Mercado de São José, mais antigo edifício pré-fabricado em ferro no Brasil e inspirado no mercado de Grenelle, localizado – adivinhem onde? – em Paris. Ainda tem dúvidas dessa influência? Pergunte como o recifense chama o painel de um carro. Na capital pernambucana ele é conhecido como tabelier.

 

08. Meu nome não é rocambole

A culinária nordestina tem diversas particularidades, mas em Pernambuco você encontra iguarias que dificilmente achará em outros estados do Nordeste. Talvez a mais famosa seja o bolo de rolo que, para os recém apresentados, é confundido com um rocambole. Se delicie com ela e aprenda que bolo de rolo é seu nome.

 

09. Pode-se conhecer um castelo medieval sem precisar ir à Europa

Instituto Ricardo Brennand, no bairro da Várzea, | Foto por Portal da Copa/ME via Wikimedia Commons
Instituto Ricardo Brennand, no bairro da Várzea | Foto por Portal da Copa/ME via Wikimedia Commons

 

Inaugurado em 2002, o Instituto Ricardo Brennand está sediado no bairro da Várzea, em um conjunto arquitetônico em estilo medieval composto de uma pinacoteca, uma galeria e um castelo que abriga um museu, circundados por um vasto parque. Possui uma grande coleção de objetos artísticos e históricos (incluindo obras de Frans Post), um acervo de mais de 62 mil livros, datados do século 16 em diante, e um dos maiores acervos de armas brancas do mundo, a maior parte proveniente da Europa.

 

10. Se refrescando com uísque

Recife é a cidade brasileira com o maior consumo de uísque per capita do Brasil. A cidade já ocupou o posto de maior consumidora do mundo de uísque da marca Johnnie Walker (apenas para reforçar a mania de grandeza do recifense) e a grande ironia disso mora no fato de que, assim como as outras cidades do nordeste, Recife possui temperaturas altas na maior parte do ano.

 

11. Onde encontrará a primeira sinagoga das Américas

Primeira sinagoga das Américas | Foto por José Jayme
Primeira sinagoga das Américas | Foto por José Jayme

 

Devido à forte presença judaica no passado, o Recife possui a mais antiga sinagoga das Américas. E isso não é fruto da megalomania recifense. Ela está localizada na rua do Bom Jesus (antiga rua dos Judeus) e fica aberta de terça à sexta das 9h às 17h, domingo das 14h às 18h.

 

12. Boate nova? Aproveite!

A cidade não tem uma cultura forte de casas noturnas. Infelizmente muitas abrem e, num prazo de no máximo três anos, fecham. Uma exceção é o Downtown Pub, que está na ativa desde 1997. Se estiver na cidade e puder conhecer alguma boate recém inaugurada, corra. Mesmo sendo a primeira, pode ser a última vez que você vai entrar nela.

Compartilhe por aí

Sobre o autor

114 comentários em “12 curiosidades sobre o Recife”

  1. Gostei demais do texto, você realmente descobriu nossos segredos kkkk, faltou dizer que cada clube de futebol do recife tem um buzinaço exclusivo

    1. Adorei o texto, gostaria de parabenizar o povo pernambucano pela dia educação, limpeza, megalomania mesmo..rs…. Fiquei maravilhado com tanta cortesia, o povo pede “com licença senhor”, “muito obrigado”, ” por Favor”, simplesmente fiquei apaixonado.

      Pena que aqui na Bahia é tão diferente.

    1. EXATAMENTE.

      Seja aqui ou noutro lugar, nossos times são os nossos times.
      Recife, sudeste ou mesmo do outro lado do mundo, sou alvirrubro de coração.

      1. Desculpe mas vc está enganado, vc pode ver quando os times sudestinos do RJ e SP veem jogar na capital, não vai quase ninguém, por isso desistiram de fazer jogos aqui.

  2. Esse é o meu Recife!!! Realmente Léo Amaral… faltou falar dos nossos clubes de futebol, da nossa vasta culinária, do nosso acervo musical, dos artistas de nossa Terra… e muito mais. Mas começou bem!!!

    1. Não seja modesto. são os melhores clubes de futebol em linha reta da américa latina, a mais vasta culinária do brasil, o mais antigo acervo musical do hemisfério sul e por aí vai.

      1. 1 – Faltou falar sobre o nosso Aeroporto, foi considerado o melhor do Brasil.
        2 – A primeira faculdade de Direito do Brasil.
        3 – O nosso frevo, genuinamente pernambucano.

      2. Para Ari Junior – amo Recife, sou trineta, bisneta e neta de pernambucano, já escrevi 3 livros sobre famílias pernambucanas (sou genealogista). Sua lista está meio, digamos, capenga. Com o amor que tenho pela minha terra ancestral, pontuo:
        – se estamos falando DO RECIFE, se a Praia do Sancho é ou não é a mais bonita, não vem ao caso agora. O que há é que ELA ESTÁ EM PERNAMBUCOI, e não no Recife…
        – quem terá classificado o Instituto R Brennand como o MELHOR MUSEU DA AMÉRICA LATINA? É muita forçação de barra, meu amigo!!! Conheço o IRBrennand, claro, e conheço vários museus pelo mundo, ALatina aí no meio.Temos que convir que até para ser classificado como museu o IRB precisa de muita boa vontade. É um lugar suntuoso, interessante, importante, interessante de se ver, mas os verdadeiros historiadores e museólogos fique certo que não diriam isto do IRB, não… E bota gargalhada, e nãop riso, em colocá-lo à frente do Louvre, santa mãe, valei-me São Luiz Gonzaga!
        Cariocamente abraço-o. Pernambucanamente envio-lhe afagos na alma e no coração.

      3. Pra quem não sabe a ilha de Fernando de Noronha fica no litoral do Rio Grande do Norte, que nos foi tirada na epoca da ditadura militar. Em tempo o Rio Grande tem praias belíssimas, que é um orgulho para nós potiguares como também de todo o Brasil. Em tempo o caribe brasileiro e aqui, vide Maracajaú. Um abraço à todos. Viva o Nordeste brasileiro.

        1. Francisco, o arquipélago de Fernando de Noronha foi dado a Pernambuco quando da constituição de 1988 como “cala boca” devido a punição imposta por D. Pedro a Pernambuco pela Insurreição Pernambucana de 1817, onde toda a comarca do Rio São Francisco foi retirada de Pernambuco e dada a Bahia. (Em tempo, esse território corresponde a toda a porção de terra a esquerda do Rio São Francisco, ou seja, 1/3 da Bahia atual).

      1. Avatar
        Josivaldo Rodrigues

        Nunca foi o cordão do Bola Preta. Os números apresentados pelos organizadores daquele bloco são estratosféricos e nunca foram comprovados pelo Guiness Book. O maior bloco de carnaval do mundo ainda é o Galo da Madrugada, como consta no Guiness Book. Não esqueçamos que megalomaníacos não só existem no Recife. Os organizadores do Cordão do Bola Preta também exageram nos números para afrontar o Galo da Madrugada. Um dia, quem sabe, o Bola Preta possa ser o maior do mundo. São apenas números. Agora, em termos de qualidade, ah! Esse ítem ninguém tira do Galo da Madrugada. Já saí do Canadá duas vezes para ver o Galo e pretendo voltar todos os anos.

      2. Para Turko – Desculpa, mas o Cordão da Bola Preta nunca entrou no Guiness Book e quem divulga esses números são artistas da Globo e com a sua leniência mas nada oficial.

      1. Avatar
        José Maria dos M Martins

        Eram judeus sefarditas portugueses que tinham sido expulsos de Portugal e fugido para a Holanda. No cemitério que existe em Manhattan varias lápides têm sobrenomes Pereira, Silva Fonseca, Seixas, Gomes, Cardozo. Vieram para Recife porque falavam português e dedicavam-se a exportar açucar.

  3. Muito bom o texto!
    Só para acrescentar o Recife(e claro Pernambuc) é a única cidade no Brasil onde se tem a maior diversidade de rítmicos, músicas e folguedos populares! Salve o meu Recife!

  4. Tem razão, André. Na verdade o Downtown era para ser “um” exemplo e não “o” exemplo. Vou pedir para o pessoal da edição fazer a correção. Grato pela lembrança

    1. Continuará sendo o maior bloco certamente, no coração dos recifenses, e oficialmente pelo Guiness.
      Mas os números infelizmente já foram superados pela Bola Preta, bloco de rua carioca.

      1. Avatar
        Josivaldo Rodrigues

        Mas, não esqueça que os organizadores do Bola Preta exageram nos números. Eu morei no Rio de Janeiro e sei que o Bola Preta desfila apenas na Avenida Rio Branco, a qual tem 800 de comprimento, com 4 faixas para carros em mão única. Então, vamos fazer as contas: a Polícia calcula o número de participantes levando em conta que 6 pessoas ocupam 1 metro quadrado. Agora, basta ver quantos metros quadrados existem em 800 metros de comprimento por 25 de largura da Avenida Rio Branco. Depois é só fazer a multiplicação. Se mesmo depois disso, o Bola Preta tiver mais gente, eles terão que provar isso ao Guiness Book. O que valor mesmo é o registro no Guiness Book.

    1. Boa lembrança. Estava em Veneza- Itália e uma senhora me perguntou
      Minha procedência lhe respondi que era do Brasil ela concluiu” vocês também
      tem uma Veneza e não é que temos mesmo,RS. Texto gostoso de se ler.

  5. Bom, a história oficial é que os judeus, que também eram holandeses (uma coisa não exclui a outra) se instalaram em Nova Amsterdam que viria a ser, futuramente, Nova York. Ou seja, nem fundaram, nem impede que fossem holandeses

  6. Muito bom seu texto. Para quem é Recifense e está morando em outro estado… é de cortar o coração de saudades!

    Aguardo a nova lista de curiosidades! Parabéns!

  7. Onde posso assistir “O melhor documentário do mundo”?, pois sou bairrista sim, tenho certeza que o beberibe e capibaribe formam o atlantico etc…
    que ver este documentario.
    obrigada

  8. somos o unico povo que sabe de cor o hino do estado, e com variações de estilos musicais, quando a gente ta fora e chega já vem cantando dentro do avião ” voltei Recife foi a saudade que me trouxe pelo braço…”

    1. Avatar
      Josivaldo Rodrigues

      Eles se encontram na Bacia do Porto do Recife. Essa história de que eles formam o Oceano Atlântico, é apenas uma frase poética.

  9. Alguns detalhes , Maurício de Nassau não era holandês e sim Alemão, em seu busto na praça da República consta até uma homenagem da Alemanha ao povo pernambucano. Enquanto a Boa viagemas, é uma excelente praia, limpa e sem risco, pois nenhum ataque de tubarão se deu antes dos arrecifes. É um limite natural é só respeitar. Parabéns pelo texto

  10. Não tem como não ser megalomaníaco com uma cidade tão linda como Recife, o Marco Zero é mágico, tudo é mágico nessa cidade, amo o nosso ”sutáquí fortí”…Parabéns pelo texto.

  11. Ótimo texto, faz juz à beleza da cidade e à simpatia do povo! Só faltou dizer que Recife é a cidade mais ao norte do planeta a receber o Curso Travel Writer!

      1. …e não esquece que de todos os estados com nome simples, Pernambuco, onde está Recife, tem o nome com maior número de letras do Brasil (10). Detalhe: sem repetir sequer uma letra.

  12. Oi, José Jayme, não entendi quando você falou, no começo do texto: “Se você for de Recife, certamente sabe que o correto é “do” Recife.”
    Digo isso, pois quem é de Recife não costuma usar os artigos o/a – o que faz como certíssimo – e extremamente utilizado- o “de”. Enfim…

    1. Nós realmente não temos o costume de usar, mas muita gente do sul usa. E ainda por cima usam equivocadasmente quando se referem a nossa cidade. Quando precisamos usar, geralmente fazemos de forma correta, apesar de pouparmos bastante

    2. Avatar
      Josivaldo Rodrigues

      Assim como muita gente de São Paulo que tem a feia mania de dizer: “Ele veio do Pernambuco.” Até a Hebe Camargo já se referiu ao nosso Estado dessa forma errônea.

    3. Juliana! a questão é que a palavra recife ou arrecife refere-se a um acidente geográfico, assim como rio ou baía. Ninguém diz ou escreve: moro em Rio ou em Bahia. Então, não se diz em Recife. Quanto ao uso dos artigos, aqui aprendemos que só se coloca artigo na frente de substantivos comuns (a vaca, o espelho, a galinha) e não nos próprios: a Juliana, o Jayme…ok? Falando em Jayme, o texto é ótimo e fez-me lembrar do bordão da Rádio Jornal: Pernambuco falando para o mundo!

  13. Cara, Parabéns muito bom o texto.

    Como todo bom recifense, tenho que dizer: como assim o galo não é o maior? kkkk

    E só uma correçãozinha: o porto de Suape não fica em recife, fica 2 cidades depois, passa pelas cidades de Jaboatão dos Guararapes e Cabo de santo Agostinho para chegar na cidade de Ipojuca onde ele se situa.

    E realmente você esqueceu de falar dos nosso times, e do fato de ser a unica cidade da America latina com três estádios de futebol próprios (sem ser na região metropolitana), com distância um do outro com menos de 10km (pelo menos era até a copa, não sei agora com esses estádios novos)

  14. Sou de Recife e lá normalmente se usa o “de recife”, “em recife” etc. “do Recife” parece estranho. Tem certeza de que é o correto?

  15. Meu querido parabéns pelo texto, ficou excelente!
    Como muitos falaram um único texto é muito pouco para falar de Recife, aguardamos ansiosamente a 2° parte!

  16. Muito bom o texto e ainda existem muitas verdades megalomaníacas a serem ditas: Um bom exemplo é que o Santinha tem a mais apaixonada torcida do mundo e que já foi motivo de um documentário estrangeiro! 🙂

  17. Avatar
    Rosineide de Freitas

    Ri muito vendo a “nossa cara” nesse texto…srsrs Também vou querer o documentário “Megalomania dos recifenses”. Não esqueça de anunciar. Esqueceu de no tema “cidade mais mal assombrada” de citar a famosa Perna cabeluda e também : A menina do algodão…kkkkk… Amei o seu texto – só que acho que ele vai crescer… Haja temas bacanas ref. o nosso Recife, a nossa gente.
    Parabéns!

  18. Alba, obrigado pelos elogios
    Como falei la em cima, sim os judeus colaboraram com o surgimento de Nova York, mas os judeus em questão eram holandeses. Uma coisa não exclui a outra.
    E, claro, os banhistas não foram dizimados de nossa praia, apenas foram reduzidos a molhadores de pés e umbigo :). Infelizmente não temos uma pratica de esportes nauticos, barcos ancorados com pessoas tomando banho e todo o tipo de atividade plena que outras praias urbanas de maceió, joão pessoa e natal, por exemplo, tem.
    E sobre nossa megalomania, o texto em si so veio a atestar isso: até o momento foi um dos mais acessados do portal, tem um volume de caracteres acima da média estabelecida pela página e mesmo assim quem o leu queria ver mais coisas. Somos de fato os maiores em tudo

  19. ” No reino da cidade do Recife, Roberto Carlos não tem autoridade ”

    ” o Recife tem Reginaldo Rossi como monarca ”

    ” Recife é a cidade Brasileira com maior consumo de Uísque per capita do Brasil ”

    Eu amo minha cidade! Parabéns pelo texto.

  20. Excelente o texto, e por se só mostra q a melogamania recifence faz sentido.
    Ps. O fato do consumo do wisk se deve pois se adiciona água de coco, uma delícia…

  21. Oi, Jayme, adoramos seu texto e somos recifenses megalômanas, sim, com todo respeitos às demais grandezas! Por favor, inclua na sua lista mais umas proverbiais megalomanias recifenses:
    * O conjunto habitacional Ignez Andreazza instalado em Recife é o maior condomínio fechado da América Latina;
    * Maurício de Nassau instalou em Recife a primeira cervejaria das Américas. 375 anos depois, a ‘La Fontaine’ é referência para amantes da bebida;
    Por fim, mesmo não estando em Recife, temos o maior teatro ao ar livre do Mundo: o de Nova Jerusalém, em Pernambuco e também o maior São João do Brasil.

    Temos dito!

  22. Como um Recifense apaixonado por sua terra, fico realmente surpreso e feliz por descobrir tanto fatos e acontecimentos que desconhecia, e agora apesar de está residindo no Norte do País, em Manaus Am, me sinto na obrigação de voltar ao meu Recife e conferir o que não aprendi na escola e no dia a dia, parabéns Jaime por uma matéria tão rica e interessante e tal como voçe lí relí a matéria tomando um delicioso vinho, como canta o Reginaldo Rossi, Recife tem encantos mil.

  23. Só estive em Recife para uma feira de TI há anos, em um centro de convenção com almoço no Shopping Boa Viagem, depois, apenas de passagem para Natal-RN. Mas o hino nº.2, que conheço pelo Alcel Valença, me emociona até hoje… “Voltei Recife, foi a saudade”….Preciso visitar Recife com mais tempo. Uma pena tirarem o banho da praia de Boa Viagem. O Texto está excelente, divertido e informativo. Parabéns, um abraço. Marcel-SP

  24. Excelente texto, até esquecer de falar de Olinda, que é extensão cultural do Recife. Lembrando, que a melhor vista da cidade do Recife, fica no alto da Sé em Olinda.

  25. Sem falar na maior megalomania e mitomania local: os torcedores do ixpór tem a pachorra de dizer que foram eles inventaram o grito de caza(ca) porque era originalmente um clube de portugueses com atividades de remo como o Vasco, mas tem pior: que foram Ademir e Almir que vindos da cosmopolita Recife “ensinaram” à pequena capital provinciana do Brasil na época localizada na costa sudeste do continente como puxar o grito e que os cariocas logo adotaram porque só pensavam na época em copiar as modas vinda da Paris do Nordeste. E ainda “provam” isso com um frevo dos anos 60 que dizem eles inspiraram a marchinha de Ary Barroso dos anos… 40! Sem atentar pra deformação de “cazaca” em “cazá” (ao contrário, pra eles foram os vascaínos que adicionaram o “ca” pra fazer rima com fuzarca – que aliás eles nem sabem o que significa !) – e sem explicar o que significa cazá aliás. Em tempo: ainda adicionam de modo pomposo e hiperbólico tipico: “foi, há de ser e sempre será” ao “o que é que é” e inserem sem sentido um outro “mesmo” na parte “a turma é boa”. O pior é que defendem tudo isso sem o mínimo senso de humor ou semancol.

  26. Avatar
    Jaime Moreira Filho

    Já visitei Recife e gostei muito. A única referencia negativa foi a constatação de uma sujeira na cidade. Penso que ela realmente existe mas considerei uma sujeira bonita, principalmente por Recife ser como Veneza.
    Li todos os comentários e fiquei surpreso com a educação, a fineza, e até a ironia quando existiu, dos comentaristas.
    Diria, com enorme prazer, até para receber comentários Recife foi campeã de educação, fineza e beleza.Já estou com vontade de voltar a Recife, agora com olhos mais abertos para ver a grandeza desta cidade. Parabéns a todos, inclusive ao escritor do texto.

  27. Avatar
    Edson Renovato Junior

    Parabéns José Jayme! É isso mesmo! Sou potiguar e apaixonado pela cultura pernambucana. Para colaborar com o seu texto sobre O RECIFE kkkkk, acrescento que é a única capital onde todos cantam o hino do seu estado em diversos ritmos:
    Salve! ó terra dos altos coqueiros!
    De belezas soberbo estendal
    Nova Roma, de bravos guerreiros!
    Pernambuco, imortal! Imortal!

  28. Muito bom texto. Parabenizo meu amigo de faculdade, não conhecia essa sua veia. Recifense inventa uma categoria onde o do Recife é o maior do mundo/América Latina/Brasil/Norte-Nordeste…
    Isso faz do recifense um cidadão feliz num grande centro, povo que valoriza a própria cultura. E turista gosta disso!

  29. Bom dia
    Ótimo texto, para o ego dos Pernambucanos.
    Peço que se fizer uma revisão, Pernambuco como um todo terá mais do que falar
    Temos o maior São João do mundo, o maior teatro ao ar livre do mundo, a melhor praia do Brasil por oito vezes(Porto de galinhas), o maior carnaval de rua do mundo (Olinda), única praia urbana do Brasil sem avenida na frente dos prédios (Piedade e Candeias). é pé na areia quando abre o portão(onde moro), a melhor ilha do Brasil(Noronha) a maior plantação de uvas irrigadas do Brasil, onde se tira até três safras por ano (Petrolina)…..etc.

  30. Se nós Pernambucanos não nos valorizarmos, quem o fará? Com toda a nossa história, rica e forte, nos orgulhamos de termos tanta coisa boa no nosso Estado. Se houve um tom de ironia, que pena, mas somos bons mesmos, valorizamos o que é nosso, a nossa cultura, o povo da gente! Um exemplo a ser seguido! Pergunta se os Estados Unidos não se valoriza, ou mesmo a França, ou até então a Suíça! Quem é bom tem que dizer que é bom mesmo, e ponto!

  31. Faltou dizer que os recifenses tem também o título de trapalhões ao fazer também a maior burrada do mundo ao construir o porto que jogou os tubarões para dentro da cidade e tornou inútil seu cartão postal e a sua principal atração turística… a praia.

  32. Não vou ao Recife desde 2002 mas, até essa data, ia de duas a três vezes por ano em razão do meu trabalho.
    A cidade é belíssima, merece todos os elogios do post e dos comentaristas. Principalmente a parte velha da cidade, que passou por uma restauração nos anos 90.
    O recifense, assim como todo pernambucano, é um povo amável, prestativo, educado. E megalomaníaco. Lembro-me de um popular programa de humor de rádio que satirizava o slogan da Rádio Jornal do Commércio “Pernambuco falando para o mundo” com o bordão: “Rádio Camanducaia, falando para o mundo e cochichando para o interior”.
    Claro que, nos comentários, há alguns exageros como o IRB ter sido classificado à frente do Louvre, e algumas irrelevâncias, como a maior fábrica de garrafas PET, além de discussões inócuas sobre o maior bloco de carnaval ou sobre torcidas de futebol.
    Há também um comentário sobre o Diário de Pernambuco, que foi o primeiro jornal do Brasil (1825), seguido do Correio Braziliense (1827) e do Jornal do Commercio do RJ (1828). Mas, até o fechamento deste em 2016, aos 188 anos, era o mais antigo jornal em circulação já que, tanto o Diário quanto o Correio, sofreram intervalos de circulação.
    A região de Nova York era habitada pelos índios nativos lenapes, quando foi descoberta, em 1524, por por Giovanni da Verrazano, um explorador florentino a serviço da coroa francesa, que a chamou de “Nouvelle Angoulême”. Em 1614, os comerciantes de peles holandeses se estabeleceram no extremo sul da ilha de Manhattan, e deram-lhe o nome de Nova Amsterdã. Somente 40 anos depois, em 1654, curiosamente no dia 7 de setembro, é que os 23 judeus vindos do Recife, fugidos da Inquisição, se estabeleceram na cidade.
    Apesar de toda a beleza e de todos os atrativos da cidade – lamento nunca mais ter conseguido comer o famoso agulha frita com farinha em cima da ponte, que comi quando lá estive pela primeira vez em 1975 – até minha última estadia, em 2002, a cidade era muito suja e mal cheirosa, como disse um comentarista. A impressão que eu tenho é que apenas umas poucas ruas atrás da orla possuem calçadas e ruas asfaltadas. Cheguei a ver valetas enormes junto ao meio-fio, por onde corria verdadeiro esgoto a céu aberto, e caranguejos sendo apanhados em manguezais que mais pareciam fossas negras.
    Para ser justo, nada muito diferente do que acontecia em diversas capitais do nordeste nessa época. Espero que as coisas tenham melhorado nos últimos 15 anos.
    Abraços

  33. Avatar
    Roberta Albuquerque

    O Senhor diz que o Recife, “é o único lugar onde se idolatra o invasor”, e colocou como exemplo o busto do Administrador Alemão Johann Moritz von Nassau-Siegen que trabalhava para os holandeses.

    “O busto, foi doado pelo Governo da República Federal da Alemanha ao povo Pernambucano”, em virtude das comemorações dos 400 anos de Johann Moritz von Nassau-Siegen, no ano de 2004.

    O busto está nesta praça, neste local, na direção que se encontra em virtude, do hoje, `simbolismo´, da função que tinha o Conde Johann Moritz von Nassau-Siegen em Pernambuco. Decisão essa tomada em conjunto, por representantes da Fundarpe, da DVRM/PMR – Divisão de Recuperação de Monumentos, e do Consulado da Alemanha na cidade do Recife. “Portanto, esse busto não é exatamente em função do recifense idolatrar o invasor”.

    O busto é uma cópia confeccionada pela oficina Kunstguss Eschenburg Lahn-Dill GmbH em Eschenburg. O original do busto encontra-se no jazigo do Conde Moritz Von Nassau-Siegen em Siegen (Alemanha), e é uma obra do escultor holandês Bartholomeus Eggers, (ca. 1637 – ca. 1692). A obra original foi confeccionada em 1664 / 65.

    Ressalto aqui, a quantidade de erros sobre pontos destacados pelo Senhor (Ex. Quando o Senhor se refere a praia da Boa Viagem), e da péssima qualidade das imagens fotográficas.

  34. Ja estive em Recife, e depois de tudo isso, comprei minhas passagens e estarei chegando nesta maravilhosa cidade dia 28 de setembro, para rever as maravilhas deste estado e desta cidade.

  35. Alagoas se “emancipou” de Pernambuco e por isso perdeu a chance de Maceio ser a segunda cidade mais importante de Pernambuco. Pios para os alagoanos!

  36. Estou em Mato Grosso há quase 50 anos mas não me esqueço da terrinha. Fiz o científico no Salesiano e o CPOR. Recife era muito romântico mesmo com suas enchentes das quais fui vítima. Mas, recentemente estive lá e fiquei decepcionado, especialmente com o assoreamento do lindo Rio Capibaribe, e a falta de educação de muitos no trânsito que, mesmo carros com placa de fora, por qualquer coisa buzina para atormentar. Mas é o meu Recife e continuo apaixonado por ele e pelo povo pernambucano, e com destaque pelas quentes Pernambucanas.

  37. Quem diz que não se pode tomar banho de mar em Recife não foi à praia conferir. É certo que em trechos onde não há a proteção dos recifes nadar é tentar o suicídio mas em vários outros onde se conta com essa barreira natural, os tubarões não têm acesso e o banho de mar é o melhor em praia urbana mundo! Modestamente…

  38. Recife é uma boa e ótima opção para fazer turismo e conhecer sobre o seu passado, a hospitalidade do povo Pernambucano, o marco ZERO , a suas gastronomias, Recife Velho e as suas cidades vizinhas como a linda OLINDA, Porto de Galinhas, Cabo de Santo Agostinho, eu o conheci e pretendo voltar novamente, pois o carnaval é um schow de bola.

  39. Avatar
    Christiano Stockler das Neves Neto

    ESSA NINGUÉM SABE :

    O RECIFENSE SE ACHA:
    POR QUÊ?
    ORA , PORQUÊ ALI O CAPIBERIBE E O BEBERIBE SE UNEM, PARA FORMAR O OCEANO ATLÂNTICO !!!!

  40. quando você for descriminado por ser recifense peça licença, e fale um pouquinho por Ser acusado justamente de que somos os mais megalomaníacos dos brasileiros e de estarmos no topo de um tal de IGPM (Índice Geral de Pouca Modéstia);

    – Temos a mania é o orgulho de dizer que tudo daqui é melhor! (e não é mermo???);
    – Dizer de boca cheia que o Shopping Center Recife é o maior da América Latina;

    – Falar também que o Chevrolet Hall é a maior casa de show da América Latina;

    – Ter a maior avenida em linha reta do mundo – a Caxangá, no Recife;

    – Ter a maior feira ao ar livre do mundo- a de Caruaru;

    – Ter também o maior teatro ao ar livre do mundo – Nova Jerusalém, em Fazenda Nova, onde é encenada na Semana Santa o espetáculo “A Paixão de Cristo”;

    – Ter a mais antiga sinagoga da América Latina – fica no Bairro do Recife, situado na ilha de Santo Antônio. Sem falar que foram judeus recém-saídos do Recife que migraram para os Estados Unidos e ali fundaram Nova York;

    – Achar a Torre de Cristal do Brennand a obra de arte mais bonita do mundo;

    – Ter o maior paraíso do mundo e poder dizer com todas as letras: Fernando de Noronha é NOSSA!

    – Saber que Recife é um dos grandes pólos de informática e de medicina do Brasil;

    – Saber que O Galo da Madrugada é o maior bloco carnavalesco do mundo (conduz mais de 1,5 milhão de pessoas nas ruas do Recife), de acordo com o Livro dos Recordes;

    – Ter orgulho do nosso São João que é o maior e melhor do universo;

    – Ter O Diário de Pernambuco como o jornal mais antigo da América
    Latina;

    – Saber que a primeira emissora de rádio da América Latina é a Rádio Clube de Pernambuco;

    – Dizer que Olinda se transformou recentemente na Capital Cultural do
    Brasil;

    – Estudos da Fundação Getúlio Vargas, que aponta as características econômicas de cada região, mostra que somos mais eficientes no comércio (influência dos holandeses?);

    – Passar um tempo fora, chegar na capital e cantar: “Voltei Recife, foi a saudade que me trouxe pelo braço, quero ver novamente Vassouras na rua passando, tomar umas e outras e cair no passo…”;

    – Ah… Fazer a maior festa de forma bem calorosa, ao encontrar um conterrâneo em outro estado ou país;

    – Morar em outro estado ou país e não perder o sotaque pernambuquês;

    – É encher o peito pra cantar: “.. eu sou mameluco, sou de Casa Forte, sou de Pernambuco, eu sou o Leão do Norte…”;

    – É ser original, alegre, receptivo e solidário. É você perguntar onde fica o local tal e ser bem orientado por qualquer pernambucano;

    – É valorizar a cultura popular, apreciar suas belas praias, é ser um cabra da peste!!!!!;

    – É ser muito sortudo por nascer numa terra tão linda como essa;

    – E fazer qualquer coisa por um taquinho de rapadura e/ou queijo coalho quando reside fora de Pernambuco;

    – Se você reside fora do estado, é recomendar aos filhos omitirem o fato de serem Pernambucanos para não humilhar os colegas;

    – É se arrepiar com o nosso hino como se fosse o hino nacional, é usar nossa bandeira com todo orgulho, é saber a riqueza de nossa história…;

    – Usar camiseta, boné, botton com a bandeira do estado (que aliás, é a mais linda do país);

    – Saber cantar o Hino de Pernambuco em todos os ritmos: forró, frevo, maracatu. Enfim… é amar a nossa terra e defendê-la acima de qualquer coisa!;

    – Poder dançar um frevo em Olinda e se orgulhar em dizer que é nosso;

    – Encher os olhos d’água com aquele sorriso no rosto e até se tremer de emoção só de falar do carnaval de Olinda…;

    – Saber distinguir entre o Maracatu do Baque Solto do Maracatu do Baque Virado;

    – Ir ao Recife antigo e pode constatar todo aquele patrimônio arquitetônico;

    – Acreditar que Recife é mesmo a “Veneza Brasileira”;

    – Amar as pontes e Rio Capibaribe do Recife;

    – E as praias de Pernambuco? Boa Viagem, Piedade, Candeias, Gaibu, Paraíso;

    – Jantar olhando para a lua incrivelmente cheia e linda nos bares e restaurantes na beira do rio Capibaribe ou da praia de Boa Viagem.;

    – Achar que Recife seria melhor se os holandeses tivessem permanecido e admirar Maurício de Nassau mesmo sabendo pouco sobre ele;

    – É sabermos da nossa importância na construção da história desse país, da nossa identidade cultural Do nosso passado fundiário, dos nossos engenhos de açúcar;

    – Ir ao monte das Tabocas perto de Vitória de Santo Antão e passar horas imaginando como uma batalha naquele lugar “deu origem” a um lugar tão maravilhoso quanto Pernambuco;

    – Dar mais importância ao Campeonato Pernambucano de Futebol do que qualquer Campeonato Nacional, pois futebol se restringe a rivalidades entre Náutico, Sport e Santa Cruz; – Ir ao Alto da Sé em Olinda apenas para ver Recife ao longe e comer tapioca;

    – Ir prá Gravatá, Garanhuns… e se encher de casacos, luvas…independente do frio que esteja fazendo;

    – Ficar sempre dividido entre as belezas das Praias de Porto de Galinhas e de Calhetas;

    – Ouvir Alceu, Geraldinho Azevedo, Chico Science, Luiz Gonzaga, Lenine e outros tantos e poder dizer “São meus conterrâneos”;

    – Nos orgulharmos dos nossos grandes literatos: de João Cabral de Melo Neto, de Manuel Bandeira, de Carlos Penna Filho, de Osman Lins, de Gilvan Lemos, Raimundo Carrero, Luzilá Gonçalves, Nélson Rodrigues, Josué de Castro, Paulo Freire, Gilberto Freyre, além de Ariano Suassuna (que só fez nascer na Paraíba)…Entre tantos outros;

    – Considerar Reginaldo Rossi o nosso Rei;

    – Achar que José Pimentel é a cara do Cristo;

    – Ir pra o teatro assistir “Cinderela” com Jason Wallace e se identificar com o sotaque e as gírias usadas no espetáculo;

    – Vibrar com a chegada de Joana Maranhão na final das olimpíadas, pois desde 54 que nenhuma nadadora brasileira consegue tal feito;

    – Freqüentar a praia de Boa Viagem em frente ao Acaiaca;

    – Tomar um banho no mar de Boa Viagem mesmo com placas de advertência de tubarão em todos os lugares;

    – E ir à Praia de Boa Viagem e tomar um “Caldinho Ele e Ela” p/ curar ressaca, gripe e dor de corno;

    – Adorar bolo-de-rolo, sucos de pitanga, mangaba, cajá, tamarindo, graviola, manga, chupar pitomba e jaboticaba;

    – Saber a delícia que é um bolo de bacia com caldo de cana;

    – Correr no Parque da Jaqueira e depois se empanturrar de caldo de cana na saída;

    – Tomar um caldo de cana no centro da cidade;

    – Tomar café da manhã (macaxeira com charque) nos Mercados da Madalena e Casa Amarela depois da noitada;

    – Adorar o tempero da comida pernambucana: Buchada, Chambaril, Mão-de-Vaca, Rabada, Vaca atolada, Sururu, Caranguejo, Carne de Bode, Carne-de-Sol, Feijoada, Dobradinha, Fava…etc.

    – Nunca usar artigo na frente de nome próprio: nada de A Maria, ou O Recife…

    – Saber o significado das palavras “pirangueiro”, “pantim”, “mangar” e “lascou”;

    – Chamar Paínho e Maínha p/ visitar Voínho e Voínha;

    – Falar visse no final de cada frase;

    – Dizer: “É rocha !” , “É porque não dá mermo”, “Di cum força”, “digaí”, “tá ligado!?”, “oxe”, entre outras…

    PENSE NUMA TERRA ARRETADA DE BOA

    AMO O MEU RECIFE ISSO TUDO É SÓ UM POUQUINHO TEMOS MUITO MAIS….

    PERNAMBUCO IMORTAL ! IMORTAL !

  41. A melhor cidade do mundo você não entende se não quiser, amo esta cidade maravilhosa rica em cultura e poesias há…recife patrimônio cultural, quem nunca tomou um café com macaxeira e charque no mercado de são José não sabe o que é ser recifense tomar uma cerveja no dia domingo no mercado da Madalena há.. quem nunca viu Bons filmes no cinema são Luiz e ainda ter o privilégio de brincar o melhor Carnaval do mundo sem sai de casa. não sabe o orgulho que é ser recifense, andar nos barcos cruzando rios e pontes há… amo o Recife… temos o Rei Reginaldo Rossi meu conterrâneo, desta cidade eu não saiu nunca.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima